Retrospectiva 2017: o ano em que Messi teve que trabalhar sozinh | 29/12/2017
Retrospectiva 2017: o ano em que Messi teve que trabalhar sozinho


Ainda que não tenha conquistado os grandes títulos que se acostumou com o Barcelona, ou tenha visto a seleção argentina sofrer nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, 2017 foi mais um ano marcado por recordes de Lionel Messi.

Na Champions League, eliminação nas quarta de final para a Juventus... que seria batida pelo Real Madrid na grande decisão. No Campeonato Espanhol, outro título para o arquirrival. Em termos de taças importantes, a Copa do Rei, com gol de Messi nos 3 a 1 na decisão sobre o Alavés.

Mas se do ponto de vista da equipe 2017 não foi tão rentável em termos de taça, no individual o craque argentino esbanjou marcas impressionantes: foi artilheiro da Copa do Rei [5 gols], do Campeonato Espanhol [37] e alcançou a barreira dos 500 tentos anotados pelo clube que defende.

Além disso, o craque superou Cristiano Ronaldo em gols marcados no ano de 2017 [54 a 53] e quebrou o recorde estipulado por Gerd Muller [ídolo do Bayern nos anos 70], ao anotar o seu 526º gol pelo Barcelona e se tornar o maior artilheiro da história das grandes ligas europeias defendendo uma mesma equipe.

foto: Yahoo


comentários
Clique para comentar

enviar comentário