BLOG DO TOB | 21/10/2017
CUSPIDA ANIMADORA



Lembro quando criança em uma briga, a maior satisfação era quando cuspíamos no adversário ou mesmo no chão, era energético, animava e parecia que a briga já estava ganha, por aí. E nesse momento da cuspida a galera vibrava esperando a reação do adversário. Bons tempos aquele, uma briga de vez enquanto era a diversão da gurizada, e algumas vezes se fazia sacanagens. Fazia-se combinações com um amigo mais próximo, pegava-se um pedaço de pau e passava-se em algum cocô na volta e levava para o confronto. É claro que a galera gritava com pedaço de pau não vale, e o camarada (podia ser eu) dava aquele pedaço de pau com cocô na ponta e dava para o mais próximo puxando ao mesmo tempo, pronto o cara ficava com a mão toda suja desse produto humano. A briga virava gozação.
Mas indo ao ponto. Outro dia pensei algo nessa linha de pensamento nesse mundo cheio de políticos gananciosos. Há tantos processos envolvendo os camaradas, e estes têm superadvogados, caríssimos os quais conseguem protelar sua prisão. Nesse cenário todo ficamos impotentes, nada podemos fazer de objetivo para nos dar alguma alegria. A história da cuspida da época de criança me traz uma esperança nesse sentido, de ter uma forma de vingança. A ideia é construir um museu de cera para os políticos corruptos. Em um dos lados do museu os políticos sérios em atividade e de outros novos candidatos para as próximas eleições. É claro que para os investidores dos museus não ter problemas com a justiça deve colocar junto ao camarada corruptos números dos processos que estariam envolvidos, de preferência condenados nas duas estâncias, aquela em que falta apenas a leitura da condenação. Esse museu fictício deve ter o máximo possível de políticos como de deputados federais, senadores, presidente, por aí. Pela manhã na abertura do museu devemos pagar ingresso, assim os investidores poderão seguir construindo pelo país inteiro. Começando pelas capitais, depois pelas cidades seguintes. O eleitor de saco cheio com determinado político, paga com certeza de bom grado o ingresso. Entra no salão, de preferência bem decorado, com lancheiras e tudo mais, assim o eleitor e eleitora ficariam (ou ficarão) à vontade para analisar todos corruptos em cera. Feito sua escolha, olha bem no fundo dos olhos e dá uma boa cuspida no sujeito. Ah, esqueci, ao pagar seu ingresso recebe de presento um pacotinho de farinha de trigo, e ao cuspir coloca um pouco dessa farinha para cuspida ser bem vista, destacada. Que tal? Pode não se resolver o problema da corrupção no país, mas pelo menos poderemos nos sentir energizado como nos tempos de meninos, embora devemos considerar que eram cuspidas para inimigos que não traziam prejuízos ao país. Para os políticos de boa índole que vão ficar na outra extremidade do museu, coloca-se uma mãozinha com sinal de positivo, com se faz no Youtube. Dedo polegar para cima, ou para baixo. Se for divulgado pela mídia no país inteiro os que recebe o líquido precioso de nossas bocas, é certo que o camarada não vai mais se recandidatar, aí a nossa alegria pela cusparada será reconfortante duplamente. Algum investidor está disposto a investir com retorno financeiro garantido na empreitada? Se aparecer vou me reunir com amigos para fazer uns treinamentos de cuspes a distância.


comentários
Clique para comentar

enviar comentário