BLOG DO TOB | 27/08/2017
O AGIOTA LEGAL


O AGIOTA LEGAL
Alguns poderão dizer: -Existem agiotas que são legais? É difícil, mas sei que existem alguns por aí. Há os emprestam seu dinheirinho numa boa, com os juros do mercado existentes entre eles, alguns até com juros normais, dentro da lei. A questão toda reside no próprio usuário, da pessoa necessitada. O camarada que precisa deve se utilizar desses empréstimos quando realmente precisa, para qual finalidade. Já experimentei estes empréstimos, as finalidades foram diversas, mas sempre com finalidade boas e sempre com uma visão que logo ali adiante, poderia pagar. É difícil uma projeção sem problemas, é como promessas que se faz para nossos santos. Prometer com facilidade e pagar a promessa rapidinho, difícil.
Há nesse meio financeiro do dia a dia muitos agiotas fominhas, querem o sujeito em suas mãos, quanto mais nas mãos deles, melhor. Ele conhece as necessidades das pessoas e quando os têm nas mãos, judiam mesmo! Conheci sujeitos, e também tive relatos de muitos que cobram mesmo, são mal ducados, e até batem no sujeito quando demoram para pagar. Entendo que tem pessoas que tomam emprestado e não estão nem aí para os pagamentos normais de juros, do capital, etc. Esses realmente merecem umas tapinhas para que cumpram seus compromissos. Até aí tudo certo, e o agiota legal? Bem, relatam um desses agiotas que um determinado cidadão, que se suicidou, o procurou para arrumar R$ 2000 ou mais para pagar uns cheques, mas este viu que não seria uma boa, emprestar para pagar cheques não era uma finalidade boa. Passados alguns dias, novamente o procurou para que o mesmo arrumasse R$ 100 reais, estava com sua luz cortada e que precisava com urgência dos cem pilas. O agiota legal que me refiro disse que lhe daria os cem pilas, e que não lhe cobraria, seria um presente. Também o convidou para tomar um café em sua casa, que a qualquer momento que desejasse poderia almoçar com ele em sua casa e bater um papo descontraído, pois viu que o cidadão estava nos limites. Ficou emocionado com o convite, isto aconteceu alguns dias antes de sua morte, aquele dia teve afeto, teve coragem, alguém o motivou. Ao contrário do agiota legal, na contramão de pessoa de bem, outros agiram de forma diferente, tentando arrancar mais e mais dinheiro, e o resultado foi a falta de força para reagir, para que se mantivesse vivo.



comentários
Clique para comentar

enviar comentário