REGIÃO | 11/10/2018
Secretaria do Estado, Coredes e BRDE se reúnem por viabilização de projetos para desenvolver a região


O Corede Rio da Várzea, juntamente com o Fórum dos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (COREDEs) em parceria com o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e a Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG), realizou no nesta quarta-feira, 10 de outubro, no campus UPF - Universidade de Passo fundo, em Sarandi, uma oficina de análise e seleção de projetos apresentados no Planejamento Estratégico Regional passíveis de financiamento pelo BRDE.

O evento contou com a presença de representantes de prefeituras, cooperativas, hospitais, escolas, universidades, entidades de classe, empresários do comércio, indústria e do setor agrícola, Comudes e os representantes das coordenadorias da Agricultura, Saúde e Educação.
O evento foi coordenado pelo diretor de planejamento do BRDE Luiz Correa Noronha e o coordenador estadual da Consulta Popular da SPGG Teonas Baumhartdt. Após a abertura e saudação aos presentes pelo presidente do Corede Rio da Várzea, Joel Rubert, o coordenador do BRDE fez a explanação aos presentes sobre os projetos que serão passiveis de receber recursos, sendo que no planejamento estratégico do Corede Rio da Várzea estão elencados 49 projetos apontados pela região de abrangência dos 20 municípios que compõem o Corede.

Em sua explanação, Noronha falou sobre a avaliação por parte da equipe técnica do BRDE de todos os projetos do Planejamento Estratégico elaborados pelos 28 Coredes do Estado.

Os projetos estratégicos dos Coredes foram avaliados por categorias. Os do Corede Rio da Várzea foram elencados em seis categorias de projetos e estão enquadrados da seguinte forma: na categoria 01, 20% destes, ou seja, 10 projetos são passiveis de receber recursos do BRDE, podendo ser acessado por Municípios, Pessoas Físicas e ou Jurídicas, cooperativas entre outros. Os projetos de categoria 02 estão sujeitos a crédito, mas não via BRDE. Os projetos de categoria 03 contempla 40%, destes são projetos de assistência técnica e cooperação técnica, não passiveis de financiamentos via BRDE e sim de articulação institucionais, como recursos de emendas parlamentar, Consulta Popular e ou fundos internacionais e nacionais. Os projetos de categoria 04 são os de reforço institucional de organismo público atendidos pela União, Estado e Municípios a exemplo a segurança pública, que pode acessar crédito de emendas parlamentares e até mesmo recursos da Consulta Popular para aquisição de veículos. Os projetos de categoria 05 não podem ser atendidos pelo BRDE. E por fim os projetos de categoria 06 são aqueles projetos não claros e que devem serem melhor detalhado pelos técnicos, para ver qual seu enquadramento.

Após esclarecimentos, a equipe técnica do BRDE dividiu os participantes em dois grupos onde o primeiro recebeu instruções destinadas aos projetos prontos e passíveis de serem atendidos e ou por participantes que tivesse projetos fora dos do Planejamento Estratégico para ser avaliados. Os demais participantes receberam orientações sobre os demais projetos e sua adequações que necessitam ser feitas.

Concluindo os trabalhos, o coordenador e os técnicos do BRDE colocaram que no prazo de 30 dias apresentarão ao Corede um resumo detalhado dos projetos que poderão inicialmente serem operacionalizados por parte dos interessados.

No entendimento do presidente do Corede Rio da Várzea, Joel Rubert, este encontro com a equipe do BRDE e Secretaria Estadual do Planejamento tem objetivo tirar do papel os projetos que foram elencados pela sociedade e que necessitam de aporte de recursos para potencializar as diversas cadeias produtivas instaladas nos municípios do Corede-RV.



Créditos: Joel Rubert.

fotos desta notícia



comentários
Clique para comentar

enviar comentário